Participação no FISL

Este post eu havia escrito em 15 de julho de 2009, logo depois de ter participado do FISL10 (Fórum Internacional de Software Livre) que é realizado em Porto Alegre, RS. Segue….

Qual a importância do Teste de Software?

Este tema já está “batido”, no entanto ainda ouvimos por diversas vezes esta mesma pergunta.
No FISL 10 (10º Fórum Internacional de Software Livre) eu e o Luiz Gustavo (http://testavo.blogspot.com) nos vimos à frente deste mesma pergunta quando um dos expositores nos comentou o seguinte: “Na comunidade de Software Livre não precisamos de testadores, a própria comunidade testa o software”. E isto nos gerou uma “pulguinha” atrás da orelha. Como explicar para ele a importância do teste de software mesmo em projetos que possuem várias pesssoas testando aleatóriamente? Talvez a resposta esteja implícita na própria pergunta: mas, afinal, quem testa o quê? Existe uma organização? Todo mundo testa tudo?

Obviamente nem todo mundo testa tudo e nem tudo é testado por todo mundo.
Sacou?

Bom… o fato é que é provado por diversos estudos (citar um exemplo) que um software testado muitas vezes não está livre de bugs. Aliás, nenhum software no mundo é perfeito ou, atende a todos os requisitos funcionais e não-funcionais do cliente . Isto porque se o foco do teste não for definido nem os objetivos e os critérios de entrada e saída, as várias pessoas podem estar testando a mesma coisa e não capturando bugs relevantes para o sistema. É possível também que boa parte das condições não estejam sendo ‘cobertas’ pelos testes por se tratar de itens ‘irrelevantes’, ou de menos importância para o bom funcionamento do sistema.

O papel de um profissional na área de testes é encontrar tantos bugs quanto possível para garantir um alto nível de qualidade no produto. Além disso, ele está apto a verificar se todos os requisitos definidos pelo cliente foram cumpridos, além de obter métricas em cima de todo o seu trabalho. É importante que seja feita uma análise também da cobertura dos testes e das técnicas e práticasa a serem aplicadas.

Além disso, com os testes, é possível determinar também os possíveis riscos do projeto de não atingir o objetivo ou o risco do produto não ser entregue de acordo com o desejo do cliente. Existem indicadores que demonstram quão distante um sistema pode estar do seu objetivo final: atender os desejos e necessidades do cliente de acordo com o que foi contratado.

Estes indicadores serão estudados e contemplados em posts posteriores.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s