Test Case Design Techniques – BS-7925-2 (Parte IV)

Esta seção do padrão fala breviamente sobre as técnicas no ponto de vista de Análise e de Modelagem, mas no mesmo documento do BS-7925-2 existe o capítulo 4 que é o “Test Measurement Techniques” e fala no cálculo de cobertura de cada técnica. Além disso, existe um anexos que acredito ser muito bacana: “Guidelines for Testing Techniques and Test Measument”… acabei descobrindo ele por acaso, porque não tinha intenção em ler tudo. No final das contas o anexo passa muito mais informação que o próprio documento do padrão.

Então assim…. nos próximos post vou fazer diferente. Para cada técnica vou colocar as seguintes seções:

1. Análise

2. Design (modelagem)

3. Cobertura

4. Exemplo

A parte “4- Exemplo” é muito extensa no “Anexo B”, mas vou tentar simplificar um pouco… de qualquer forma, se ficar muito extenso deve dividir cada Técnica em “Parte 1” e “Parte 2”.

Acompanhe os próximos post se quiser saber um pouco mais sobre as técnicas de criação de casos de teste, que na minha opinião é a parte mais interessante e é também super-importante profissionalmente. Lembrando que veremos estas técnicas no ponto de vista do BS-7925-2 (British Standards for Software Component Testing).

Valeu!
Fiquem com Deus!

 

 

Anúncios

Project Component Test Plan – BS-7925-2 (Parte III)

Objetivo deste documento:

O Plano de teste de componente deve especificar as dependências entre testes de componentes e a sequência deles. Suas derivações devem incluir consideração das abordagens escolhidas para teste de componente, mas também podem ser influenciados por todo gerenciamento de projeto e considerações de calendário de trabalho.

  • Component test planning

Deve especificar como o documento de estratégia de testes e o ‘project component test plan’ são aplicados a um dado componente sub teste. Isto deve incluir identificação específica de todas as exceções para a estratégia de teste de componente e todo o software com o qual o componente sob teste irá interagir durante a execução do teste, bem como drivers e stubs.

  • Component test specification

Casos de teste deve ser projetados usando as técnicas de ‘test case design techniques’ na atividade de planejamento de testes
Os requisitos específicos de especificação para cada técnica de design de test case são definidos na cláusula 3. Cada TC deve ser especificado para definir seus objetivos, o estado inicial do componente, seus inputs e saídas esperadas. O objetivo deve ser indicado em termos de técnica de projeto de TC utilizado, bem como os limites de particção exercidas. A execução de cada TC deve ser repetível.

  • Component test execution

Cada TC deve ser executado

  • Component test recording

Os registros de teste para cada TC devem registrar, sem ambiguidade, as identidades e versões do component sob teste e a especificação de teste. A saída atual deve ser registrada. Deve ser possível estabelecer que todas as atividades de teste especificados foram executados por referência aos registros de teste.
A saída atual deve ser comparada contra a saída esperada. Qualquer discrepância encontrada deve ser logada e analisada a cim de estabelecer onde o erro se situa e a primeira atividade de teste que deve ser repetida a fim de remover a discrepância na especificação de teste ou verificar a remoção da falha no componente O nível de cobertura de teste atingigo por aquelas medidas especificadas como critério de completude de teste deve ser registrados

  • Checking for component testing completion

Os registros de teste devem ser checados contra o critério de completude de teste previamente especificado. Se estes critérios não são cumpridos, a primeira atividade de teste que deve ser repetida a fim de cumprir o critério deve ser identificada e o processo de teste deve ser re-startado daquele ponto.
Deve ser necessário repetir a atividadede especificação de teste para projetar test cases adicionais para cumprir o objetivo de cobertura do teste.

 

Component Test Strategy – BS-7925-2 (Parte II)

1. Component Test Strategy

Objetivos deste documento:

  •  Deve especificar as técnicas a serem empregadas na modelagem dos test cases e na racional escolha deles (a seleção de Técnicas veremos mais a frente).
  •  Deve especificar o critério de completude(ou conclusão) dos testes e a racional escolha deles. Estes critérios deve indicar o nível de cobertura de teste cuja medição deverá ser conseguido através da utilização das técnicas de medição de teste.
  •  Deve documentar o grau de dependência necessária específica para projetar os casos de teste, tais como:
    • São projetados por pessoas que definem/criam os componentes sob teste?
    • São projetados por outra pessoa que não aquela que definiu o componente?
    • São projetados por uma pessoa de uma seção diferente?
    • São projetados por uma pessoa de uma organização diferente?
    • Entre outros…
  • Deve documentar se o teste de componente é realizado usando isolamento, abordagens bottom-up ou top-down, ou alguma mistura destas
  • Deve documentar o ambiente no qual o teste de componente será executado. Isto deve incluir a descrição do hardware e do software no qual os testes de componente serão executados.
  • Deve documentar o processo de testes que deve ser usado para o teste de componente.
  •  A documentação de processo de testes deve definir as atividades de teste a serem realizadas e os inputs e outputs de cada atividade.
  •  Para qualquer TC, a documentação de processo de testes deve requerir que as seguintes atividades ocorram na seguinte sequência:
    1. Component Test Planning;
    2. Component Test Especification;
    3. Component Test Execution;
    4. Component Test Recording;
    5. Checking for Component Testing Completion.

Obs:  Sempre que um erro é corrigido através de uma alteração ou alterações nos materiais de teste ou no componente sob teste, as atividades afetadas devem ser repetidas.

British Standards for Software Component Testing (BS-7925-2) – Parte I

O objetivo deste padrão é habilitar a medição e comparação dos testes realizados em componentes de software. Ele irá tornar os usuários deste padrão aptos a melhorar diretamente a qualidade de seus testes de componente e a qualidade de seus produtos de software.

O que este padrão cobre?

1. Specified Components

Um componente deve ter uma especificação a fim de ser testado de acordo com este padrão. Dado qualquer estado inicial do componente, em um determinado ambiente, para qualquer sequência completa de inputs definidos e qualquer saída observada, deve ser possível estabelecer se o componente está ou não de acordo com a especificação.

2. Dynamic Execution

Este padrão se refere a execução dinâmica de testes bem como os resultados desta execução.

3. Techniques and Measures

Este padrão define as técnicas de projeto de teste (TC Design Techniques) e as técnicas de medição dos testes (test measurement techniques). As técnicas são definidas para ajudar os usuários deste padrão a projetar casos de testee quantificar os testes realizados.

4. Test Process Attributes

Este padrão descreve atributos do processo de teste que indica a qualidade dos testes realizados. Este atributos são selecionados para prover meios para avaliar, comparar e melhorar a qualidade do teste.

5. Generic Test Process

Este padrão define um processo geral de testes. Um processo genérico é escolhido para garantir  que este padrão é aplicável a diversos requisitos da indústria de software.

O que este padrão não cobre?

1. Types of Testing
2. Test Completion Criteria
3. Selection of Test Case Design Techniques
4. Selection of Test Measurement Techniques
5. Personnel Selection
6. Implementation
7. Fault Removal